Fique Ligado!

Entretenimento

Belinati assina contrato de intenção de compra da vacina contra Covid-19

Coronavac está sendo produzida pelo Instituto Butatan, em SP

Redação

Publicado

em

24horas_fundo_portal24h

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP), assinou na tarde desta terça-feira (05) o contrato que prevê a compra de vacinas contra a Covid-19 para imunizar a população da cidade, de 575 mil habitantes.

A assinatura do contrato foi feita em uma transmissão ao vivo nas redes sociais. A vacina é produzida pelo Instituto Butatan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. A chamada Coronavac deve começar a ser aplicada ainda este mês no estado de São Paulo; De acordo com o governo paulista, a partir do dia 25.

Belinati explicou que o contrato de intenção de compra foi assinado para que na hipótese do Ministério da Saúde atrasar a entrega das vacinas prevista no Plano Nacional de Imunizações (PNI), haja a garantia que a cidade poderá ser vacinada com recursos próprios, garantindo a compra das doses.

O contrato não define quantas doses serão compradas, o custo para a prefeitura e a logística de entrega. “Os detalhes serão definidos em uma reunião em São Paulo na próxima semana. Faremos essa reunião de trabalho na semana que vem”, salientou o prefeito.

Segundo o documento, as vacinas serão entregues ao município em frascos multidoses, com dez doses por frasco. O prefeito Marcelo Belinati deixou claro que a Coronavac só será comprada caso esta tenha sido aprovada nos órgãos de saúde, sobretudo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O Instituto Butatan ainda não divulgou os testes de eficácia da vacina em sua fase III, a mais importante para se obter o registro e crucial para entender como a vacina vai auxiliar na imunização. 

Nesta segunda-feira (04), o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), disse em entrevista coletiva que o Butatan pedirá o registro emergencial da Coronavac na próxima quinta-feira. Ele ainda explicou que por um imbróglio entre o laboratório Sinovac, o Governo Federal e outros países em que a vacina está sendo testada, os dados de eficácia serão apresentados diretamente à Anvisa.

Os resultados, de acordo com o próprio Butatan, não chegam a 90% de eficácia, no entanto, o instituto garante que a vacina é eficaz contra o coronavírus.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

EM ALTA