- Publicidade -
- Publicidade -
Array

Jovem confessa assassinato de casal encontrado em carro incendiado em Londrina

Trending

Um jovem de 24 anos é acusado de matar a tia, Roseli Aparecida Florindo, e o namorado dela, Luis Carlos Tenório Araújo, ambos de 52 anos. Os corpos estavam no carro da mulher que foi encontrado incendiado na PR-445 próximo ao trevo de acesso ao distrito de Irerê, na Zona Sul de Londrina.

Roseli era professora da rede pública municipal e havia registrado boletim de ocorrência por ameaças contra o sobrinho, Lucas Oliveira. O jovem se apresentou à polícia junto com um advogado e foi preso na tarde desta quarta-feira (17).

Conforme o delegado João Reis, da Divisão de Homicídios de Londrina, Lucas confessou o crime e contou detalhes de como tudo aconteceu.

Segundo ele, toda a confusão que levou à morte do casal começou após o pai do rapaz falecer. Na versão do acusado Roseli teria enviado um suposto áudio dizendo que “soltaria fogos e faria um churrasco” para comemorar a morte do pai de Lucas.

+ Corpos são encontrados em carro incendiado na PR-445

O rapaz disse que matou Roseli e Luis na frente da casa onde ele mora com a mãe, irmã da vítima, em Cambé, na Região Metropolitana de Londrina.

Luis Carlos Tenório e Roseli Aparecida Florindo foram mortos – Foto: Arquivo pessoal

DESAVENÇA

Lucas Oliveira contou aos policiais que havia proibido a tia de ir até a sua casa visitar a irmã dela, que já é de idade e sofre de Alzheimer. Ele teria apontado um revolver calibre 32 para a servidora, que teria confrontado o suspeito dizendo para ele atirar.

Foi nesse momento que ocorreram os disparos que atingiram a professora e o namorado dela, que a acompanhava. A polícia suspeitava que o crime tivesse relação com uma medida protetiva que a mulher tinha contra o ex-companheiro, mas essa hipótese foi descartada.

Após o homicídio, Lucas contou que colocou os corpos no carro da vítima, e dirigiu sem rumo. Ele parou às margens da PR-445 perto do distrito de Irerê para fumar cigarros. Na versão do rapaz, ele fumou tantos cigarros que uma bituca teria caído no interior do veículo, dando início ao fogo.

Para o delegado a versão é duvidosa, por isso a perícia vai investigar como as chamas começaram. “Se ficar provado que ele incendiou o carro de propósito, ele também vai ser indiciado por ocultação de cadáver”, disse.

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Temporais provocam estragos em várias cidades do Paraná

Em Palotina, no oeste, ventes chegaram atingir 101 km/h
- Publicidade -

Sugestões do editor

- Publicidade -