- Publicidade -
- Publicidade -

Curitiba entra em lockdown severo a partir de amanhã

Trending

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, anunciou que a capital do Paraná vai entrar em lockdown severo a partir deste sábado (13). Segundo Greca, será a primeira vez que a cidade vai passar pela medida mais restritiva desde o início da pandemia, com o funcionamento limitado de absolutamente todos os serviços não essenciais, inclusive conveniências, delivery, e outros serviços – a não ser os públicos.

A partir da meia-noite eu estou decretando lockdown na cidade de Curitiba por oito dias. Desse sábado, que vai até o nascer da outra semana, no domingo. Será um esforço imenso para evitar a transmissão. Pela primeira vez teremos um lockdown severo, que nunca havíamos tido“, declarou o prefeito.

Greca ainda argumentou que a tomada da medida drástica atende um apelo do Conselho Regional de Medicina (CRM-PR), do Conselho Regional de Enfermagem (Coren) e de órgãos do Poder Judiciário, como o Ministério Público de Saúde, o Ministério Público do Paraná, Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR), além da própria secretária municipal de Saúde, Márcia Huçulak.

“Apenas os supermercados, postos de gasolina e farmácias estarão abertos todos os dias da semana que vem. Serviços essenciais de limpeza pública da cidade, também vão funcionar. Mas obras públicas não vão funcionar, vamos proibir o funcionário da indústria, do comércio e dos serviços dessa cidade que nos é tão cara”, frisou.

OCUPAÇÃO DOS LEITOS UTI

Nesta sexta-feira, Curitiba registrava 98% de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para tratamento da doença disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Já a taxa geral de ocupação considerando todos os leitos disponíveis na capital era de 96% com somente 17 leitos de UTI livres.

Nas enfermarias a taxa de ocupação das 566 vagas era de 89% nesta sexta-feira. Assim como o restante do país, a capital do Paraná enfrenta o pior momento da pandemia de coronavírus.

ALTERAÇÕES NO SISTEMA

O decreto do prefeito Rafael Greca transforma 42 Unidades Básicas de Saúde (UBS) em “mini-UPAs”. Esses locais passam a atender como pronto atendimento, casos leves ou moderados de coronavírus ou outras doenças.

Já as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) foram transformadas em locais de intenção de pacientes com a Covid-19. Casos graves do vírus e de outras doenças, como por exemplo infartos e AVC, também serão atendidos pelas UPAs todos os dias durante 24h.

A prefeitura ainda resolveu que 10 UBSs vão realizar atendimento de vacinas (vacinas gerais, que não são anti-Covid), além do monitoramento de gestantes e crianças que precisam de monitoramento. As demais unidades foram fechadas e tiveram as equipes transferidas.

O decreto ainda determina que os hospitais da rede privada apresentem planos de contingência para enfrentamento da crime. Segundo a administração, os leitos disponíveis podem ser requisitados caso haja colapso no sistema geral.

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Sugestões do editor

- Publicidade -