Menino de 4 anos perde fala e movimentos após se engasgar com comprimido

Criança estava internada desde 26 de julho em um hospital de Curitiba.

- Continua depois da publicidade -

Trending

A família do pequeno Luis Fabiano, de 04 anos, não sabe a quem recorrer. Eles pedem ajuda para custar o tratamento do menino, que ficou internado desde 26 de julho em um hospital de Curitiba, sem fala e sem movimentos, após se engasgar com um comprimido para tratamento de verme.

Segundo a mãe da criança Franciele Augustinhak, o marido dela ajudou no socorro. “Ele começou a ficar roxo. Meu marido tentou reanimar e ele nada”, disse. O menino foi levado às pressas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Sítio Cercado e em seguida transferido para o Hospital Evangélico Mackenzie, onde ficou internado por um mês.

Franciele relembra que no dia do acidente, a criança ficou de 20 a 30 minutos sem oxigenação no cérebro, e que por causa disso ocasionou sequelas no garoto.

O remédio com qual ele se engasgou era mastigável e havia sido orientado por uma médica. No entanto a criança não conseguiu engoli-lo e se engasgou com o comprimido.

Por conta da perda dos movimentos, Luis Fabiano passou a se alimentar com uma sonda, mas antes de tudo acontecer era uma criança saudável. Emocionada, a mãe relata que o filho gostava de cantar e brincar, mas que agora não reage a nada.

RECUPERAÇÃO

O menino recebeu alta na última segunda-feira (30) e mesmo com suas limitações, deve continuar o tratamento em casa por meio de fisioterapia.

Além das terapias para a reabilitação e medicação, Luiz Fabiano precisará de uma banheira adaptada. A mãe conta que a situação está bastante complicada, não somente psicológica, mas financeira. E pede ajuda.

“Ele não anda, não fala, não come. Se tivesse uma clínica que pudesse ajudar ele a se reabilitar. Porque pelo SUS é só uma vez por semana. E ele precisa todo dia de fisioterapia e fono”, apela a mãe.

Franciele tem mais uma filha, de quase dois anos, e não sabe como será daqui para frente. A mãe pede orações para o filho.

“Sei que Deus vai curar ele. Tá triste, nunca pensei que fosse passar por isso, nunca imaginei.”

AJUDA

Quem quiser e puder ajudar a família, pode entrar em contato pelo telefone (41) 98458-5722 ou pelo Whatsapp (41) 99520-0110.

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Cultura: prazo para inscrever projetos no Promic encerra segunda

Ao todo, o Promic destinará R$ 1.360.000,00 para os projetos.
- Publicidade -

Sugestões do editor

- Publicidade -