Fique Ligado!

Paraná

Dezenas de políticos podem ter furado fila da vacinação no Paraná

TCE identificou diversos casos de políticos que já foram imunizados.

Redação

Publicado

em

tribunal de contas parana 1002x600 1 | 24Horas
Foto: Divulgação / Google

O Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR) solicitou nessa quinta-feira (08) justificativas a 18 municípios sobre a aplicação das vacinas contra a Covid-19 em um prefeito, três ex-prefeitos e dezenas de vereadores. Segundo o órgão, eles aparentemente não se adequam a nenhum grupo prioritário para a imunização, conforme determina o Ministério da Saúde no Plano Nacional de Imunização (PNI).

Até o momento o TCE-PR não divulgou nomes, já que de acordo com o órgão, as pessoas ainda estão sendo notificadas para justificarem a vacina.

Segundo a apuração do TCE, diversos vereadores foram indevidamente vacinados na condição de “motorista de ambulância”. Ainda há registros de agentes políticos vacinados apenas com a justificativa “outros”, sem detalhes. Em outro caso, um vereador sem curso superior foi vacinado como farmacêutico; e ainda um parlamentar também recebeu a vacina por ser “ex-sócia” de uma clínica médica do marido.

O órgão de controle também solicitou informações 82 cidades sobre casos de “multivacinados”, que é quando o portador de um esmo CPF recebe diversas doses do imunizante. Para chegar a essas pessoas, TCE usou informações da Controladoria-Geral da União (CGU) além do Tribunal de Contas da União (TCU).

Conforme Rafael Ayres, que faz a coordenação-geral de Fiscalização do TCE-PR, é improvável que as informações sejam falhas técnicas. “Esses casos de fura-filas e de multivacinados ocorreram somente em municípios de médio e pequeno porte. Não houve casos em Curitiba, Maringá, Ponta Grossa por exemplo”, disse.

Caso os notificados não consigam explicar as ocorrências, eles ficarão sujeitos a Tomada de Contas Extraordinária, que é um processo no TCE que pode resultar em multas e outras sanções por exemplo. Eles ainda podem responder cível e criminalmente pelos casos, e ainda serem acusados de peculato, corrupção e abuso de poder

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

24H no FACE

ÚLTIMAS

EM ALTA