Fetranspar repudia bloqueio de rodovias por caminhoneiros no Paraná

Entidade declarou que não apoia o protesto.

- Continua depois da publicidade -

Trending

A Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná (Fetranspar) emitiu uma nota de repúdio contra os caminhoneiros autônomos que mantém bloqueios parciais ou totais de rodovias e acessos logísticos no estado.

Mais de 20 mil empresas de transporte e logística no estado são representadas pela federação. A entidade garante que não apoia esses atos e que não há nenhum de seus membros, motoristas ou empresas do setor de transporte presentes nos bloqueios.

Mais cedo, caminhoneiros reclamaram que estavam sendo obrigados a parar em determinados pontos de bloqueio no estado. Caso contrário, eles eram retaliados e ameaçados de terem os veículos danificados pelos manifestantes mais radicais.

Na nota a Fetranspar disse desconhecer o teor da pauta dos manifestantes, e salientou que o direito de ir e vir das pessoas que estão nas estradas, bem como dos transportadores que trafegam levando suas cargas devem prevalecer.

A entidade destacou que o protesto ainda coloca em risco algumas cidades que correm o risco de ficar desabastecidas pela falta de produtos essenciais que chegam pelas rodovias.

LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA:

Nota de repúdio ao fechamento de estradas no Paraná

A Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná – FETRANSPAR, que representa mais de 20 mil empresas no Estado, repudia atos que fecham diferentes pontos em rodovias nesta quarta-feira (08/09). A Federação destaca que em nenhum desses atos, motoristas ou empresas do setor de transporte estão presentes, sendo movimentos isolados e praticados por profissionais autônomos que não fazem parte da Federação.

A entidade reforça ainda que desconhece o teor da pauta e salienta que o direito de ir e vir das pessoas que estão nas estradas bem como dos transportadores que necessitam trafegar levando suas cargas, precisam ser respeitados. Vale destacar ainda que, nestas localidades onde ocorrem as manifestações, cidades correm o risco de desabastecimento de produtos essenciais que chegam via transporte rodoviário.

Por fim, qualquer pauta de reivindicação deve ser resolvida com diálogo entre as categorias e autoridades competentes, sem que se prejudique o tráfego em estradas ou dentro das próprias cidades.

Estradas

As manifestações ocorrem com bloqueios parciais nos seguintes municípios:

• Assaí – PR-090 – KM 343

• Bocaiuva do Sul – BR – 476 –

• Céu Azul – BR -277 –

• Paranavaí – BR 376 -KM 110 –

• Piên – PR-420

• Ponta Grossa, BR- 376 – KM 502

• Realeza – PR 182

• Rolândia – PR -170 – KM 78 –

• Medianeira – BR-277 – KM 667 –

• Santo Antônio da Platina – BR -153 e PR – 439 –

• Wenceslau Braz – PR 092 – KM 253

Coronel Sérgio Malucelli – Presidente da Federação das Empresas de Transporte de cargas do Estado do Paraná – FETRANSPAR
- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Cultura: prazo para inscrever projetos no Promic encerra segunda

Ao todo, o Promic destinará R$ 1.360.000,00 para os projetos.
- Publicidade -

Sugestões do editor

- Publicidade -