26.8 C
Londrina

Prejuízos com incêndio na Grande Londrina pode chegar a R$ 10 milhões

Empresa contratou perícia particular para investigar incêndio.

Trending

No dia seguinte ao maior incêndio já registrado na história da Transportes Coletivos Grande Londrina (TCGL) os prejuízos ainda estão sendo calculados. A empresa atualizou a contagem dos veículos destruídos, que agora somam 56 ônibus.

Os veículos tiveram perda total e não tinham seguro. A Grande Londrina explicou que as empresas de transporte em todo o país não contam com seguro, devido os custos elevados inviabilizar a operação da frota.

Com isso, considerando o valor de cada ônibus de em média R$ 200 mil, o prejuízo financeiro que pode superar os R$ 10 milhões terá que ser suprido pela própria empresa, que ainda estuda as medidas que irá adotar. O valor oficial ainda não foi divulgado, porque nesse momento ainda se verificam quais veículos queimaram.

A TCGL já vinha enfrentando problemas financeiros, agravados com a pandemia de Covid-19 e a perda de passageiros para os aplicativos.

O incêndio da segunda-feira só aprofunda a crise na empresa, que emprega mais de 1 mil trabalhadores na cidade e é pioneira no serviço de transporte coletivo em Londrina.

Mais de 50 ônibus foram queimados no incêndio – Foto: Divulgação

Neste ano e no ano passado, a TCGL enfrentou paralisações e atrasou o pagamento de funcionários justamente por causa dessa crise, e vem lutando para se reestruturar. O futuro agora é incerto, mas a companhia no entanto, garante concentrar esforços para continuar atendendo os usuários diariamente.

PERÍCIA PARTICULAR

A Grande Londrina também informou que contratou uma perícia particular para ajudar a esclarecer as causas do incêndio, que pode ter sido criminoso. Vídeos também são analisados pela polícia, para identificar possíveis detalhes suspeitos.

Uma gravação em especial chamou a atenção. Quando o fogo se alastrava pelo pátio da empresa, um homem gravou as imagens com tom irônico e manifestando alegria. As imagens estão em poder da polícia civil, que está apurando o caso.

Também não é descartada a hipótese de alguém ter lançado um coquetel molotov através do muro, ou até mesmo ter sido uma ação comandada por facção criminosa.

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Saúde descarta sete casos suspeitos da Ômicron no Paraná

Os casos haviam sido isolados e foram acompanhados pela SESA
- Publicidade -

Sugestões do editor

- Publicidade -