Fique Ligado!

Política

Em Paranaguá, prefeitura anuncia R$ 18 milhões para estádio e apenas R$ 1 milhão para a saúde

Por causa de repercussão negativa, prefeitura alterou a notícia.

Publicado

em

178486844 3938149149600955 6280966474302164694 n | 24Horas
Prefeito posa com deputada Christiane Yared em Paranaguá - Foto: Divulgação

A prefeitura de Paranaguá, no litoral do estado, está sendo alvo de críticas nas redes sociais e por boa parcela da população. O motivo é a destinação de uma emenda parlamentar pela deputada Christiane Yared (PL-PR). A emenda contempla a cidade com recursos na ordem de R$ 19,4 milhões – um valor expressivo e com muita significância em tempos de pandemia.

O problema é a destinação do dinheiro.

Em uma postagem, a prefeitura anunciou que desse total, R$ 18 milhões seriam investidos na reforma do estádio municipal Fernando Charbud Farah (Gigante do Itiberê) e pouco mais de R$ 1,4 milhão seriam destinados à saúde.

A publicação teve repercussão negativa, justamente por causa do investimento expressivo em um estádio de futebol e por sua vez, o investimento parco na saúde pública.

Diante da repercussão, a prefeitura alterou a notícia e passou a afirmar que os R$ 18 milhões seriam destinados à “educação”.

A reportagem tentou contato com o prefeito Marcelo Roque (Pode) e com a deputada Christiane Yared, e aguarda retorno.

PUBLICIDADE
2 Comentários
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gilberto Fernandes
Gilberto Fernandes
20 dias atrás

Boa tarde, se o colega levantasse a informação, como manda o básico do jornalismo, saberia que o recurso tem uma história que já dura três anos (nem existia pandemia na época), além de rubrica específica. Informar do jeito que está, tendencioso é pouco. Um abraço

Last edited 20 dias atrás by Gilberto Fernandes
Gilberto Fernandes
Gilberto Fernandes
20 dias atrás

Boa tarde, se o colega levantasse a informação, como manda o básico do jornalismo, saberia que o recurso tem uma história que já dura três anos (nem existia pandemia na época), além de rubrica específica. Informar do jeito que está, tendencioso é pouco. Um abraço

EM ALTA