- Publicidade -
- Publicidade -

Pepe Richa recebeu propina de R$ 1 milhão em espécie, diz jornal

Trending

Foto: Arquivo

O secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Pepe Richa, irmão do governador Beto Richa, recebeu R$ 1 milhão de propina em espécie, segundo delação de um executivo da JBS, do empresário Joesley Batista. O conteúdo completo da delação foi tornado público nesta sexta-feira (19) após decisão do ministro do STF Edson Fachin.

Segundo reportagem publicada pelo jornal Gazeta do Povo, o dinheiro seria uma doação ilegal para a campanha de Beto Richa (PSDB) em 2014.

O governador paranaense já havia sido citado na delação da Odebrecht como beneficiário de R$ 3,05 milhões em propina por meio de caixa 2. A revelação foi feita à justiça por Ricardo Saud, diretor de Relações Institucionais e Governo da JBS. O dinheiro teria sido entregue a Pepe Richa na porta de um supermercado em Curitiba; Em outro trecho da delação, o secretário é citado como um “emissário” de Beto Richa.

Outro lado

Por meio de nota, o PSDB do Paraná esclareceu que todas as doações da campanha de Richa em 2014 foram declarados à justiça. E confirmou o recebimento de R$ 2 milhões em duas parcelas, afirmando que a prestação de contas do valor foi enviada ao TRE.

Leia:

“O Comitê Financeiro da Campanha Eleitoral de 2014 do PSDB esclarece que recebeu duas doações do grupo JBS S/A, nos valores de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) e R$ 1.000,00 (um mil reais), respectivamente. As referidas doações estão declaradas na prestação de contas entregue à Justiça Eleitoral e em conformidade com a legislação vigente à época das eleições de 2014.”

Ex-secretário envolvido

O ex-deputado Eduardo Sciarra – Foto: Divulgação

Segundo Saud, o ex-secretário da Casa Civil do governo do Paraná também foi beneficiado com repasses financeiros. O ex-deputado Eduardo Sciarra (PSD) teria recebido R$ 200 mil por meio de pagamento de uma nota fiscal, um dos meios usados pela JBS para praticar o que chamava de “ação para boa vontade política”.

O depósito foi feito na conta da CRE Participações e Empreendimentos LTDA, que tem o ex-deputado como sócio. Não fica claro no conteúdo da delação se o valor foi enviado justificando suposta prestação de serviços da empresa.

Sciarra rebateu as informações por meio de uma nota oficial.

Veja na íntegra:

“A CRE Participações e Empreendimentos Ltda, com sede em Curitiba-PR, é uma empresa que existe no mercado desde 1999, no ramo de serviços de engenharia, construção civil e manutenção.

O engenheiro Eduardo Sciarra é um dos sócios da empresa. Durante o período em que o engenheiro ocupou funções na área pública, incluindo os 12 anos em que exerceu mandato de deputado federal, esteve afastado do dia a dia da CRE Participações e Empreendimentos Ltda, que foi administrada pelo outro sócio.

No ano de 2014, a CRE Participações e Empreendimentos Ltda prestou, à JBS S/A, serviços de manutenção de obras civis em plantas industriais, em São Paulo, durante o quadrimestre maio, junho, julho e agosto, pelos quais foi emitida nota fiscal e recolhidos os impostos devidos.

A CRE Participações e Empreendimentos Ltda e o sócio Eduardo Sciarra refutam a citação em tema alheio a sua atividade profissional. Cabe acrescentar que o referido sócio sequer foi candidato a cargo eletivo nas eleições 2014.”

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Acidente com carro de luxo mata motociclista em Foz do Iguaçu

Um jovem de 24 anos ficou gravemente ferido e está internado.
- Publicidade -

Sugestões do editor

- Publicidade -