Fique Ligado!

Política

Vereadora Jessicão retira projeto de decreto que cancelava lockdown estadual em Londrina

Ela justificou sua decisão, mas manteve defesa da reabertura do setor produtivo.

Derick Fernandes

Publicado

em

Jessicao 1 | 24Horas

Em uma nota oficial a vereadora Jessicão (PP) comunicou que retirou de andamento o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 02/2021 que se opunha ao decreto estadual que determina lockdown durante a pandemia de Covid-19 em Londrina.

Na prática, o PDL tornava o prefeito o responsável por acatar ou não as medidas restritivas, e impedia que o decreto do governador Ratinho Junior tivesse feitos na cidade de forma imediata, sem que antes fosse analisado.

O Governo do Paraná que determinou o lockdown entre os dias 26 e 10 de março em todo estado. Jessicão queria que empresários e entidades representativas fossem ouvidas pela prefeitura, antes que o prefeito pudesse ou não adotar uma ordem estadual – como já aconteceu em outros momentos da pandemia.

Nesse sentido, ainda está em andamento um projeto da vereadora que estabelece que a prefeitura deve comunicar os empresários com antecedência de medidas de fechamento do comércio. Jessicão salienta que o objetivo é dar chance ao comerciante em se preparar para o fechamento.

Na nota publicada pela vereadora, ela desabafa pela forma de como o PDL foi recebido pela casa e teve seu andamento dificultado pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O presidente da CCJ é Matheus Thum, vereador eleito pelo mesmo partido que Jessicão – PP.

Por inúmeras vezes, o Presidente da Comissão de Justiça – CCJ, tentou inviabilizar a regular tramitação do projeto, sob alegação de inconstitucionalidade, sustentado que este seria “ineficaz”, caso fosse aprovado, embora tenha se limitado a alegar, sem, todavia, fazer mínima prova da inconstitucionalidade alegada – diz a nota.

A vereadora também esclarece sobre a alegação de inconstitucionalidade do projeto. Ela explica que para ser declarado inconstitucional, o PDL primeiro precisaria ser votado – o argumento também é sustentado pela própria Justiça que barrou um pedido do Ministério Público do Paraná para declarar inconstitucionalidade da proposta, conforme descrito abaixo:

“Cumpre trazer parte da decisão judicial, onde a Magistrada Camila Tereza Gutzlaff Cardoso, em resposta a 24º Promotoria de Justiça de Londrina, afirma que, por não estar presente a probabilidade do direito no pedido do MP, foi indeferia a tutela liminar pretendida. É relatado em parecer emitido”

A nota prossegue explicando a tramitação da proposta até sua retirada da pauta, por não ter mais validade – uma vez que a votação do PDL deveria ter acontecido no dia 04.

A expectativa era que a segunda discussão acontecesse no dia 04/03/2021, o que não ocorreu. Foi protocolado um requerimento pelo Vereador, Presidente da Comissão de Justiça, Legislação e Redação, solicitando a suspensão deste projeto da pauta do dia por 01 sessão, retornando a discussão na data 09/03/2021.

Tal requerimento precisou ser colocado em votação pelos demais Vereadores, e foi aprovado por um total de 13 votos. Se o projeto tivesse permanecido em discussão e votação, na possibilidade de sua aprovação, considerando o pedido de urgência, o então Decreto-legislativo poderia ter entrado em vigor a partir de 05/03, após ser publicado em Diário Oficial.

Nas datas 05/03, 06/03, 07/03 e 08/03, estaria vigente o Decretolegislativo permitindo a suspensão dos efeitos do Decreto estadual em Londrina. Seriam quatro dias, onde poder-se-ia ou não ter uma decisão contrária do poder judiciário, caso este fosse acionado. Uma vez que o projeto é embasado em leis que possuem interpretações diversas.” diz a nota.

CLIQUE AQUI E LEIA NA ÍNTEGRA

PUBLICIDADE
1 Comentário
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Glaucia
Glaucia
1 mês atrás

Jessicão recuou porque a repercussão foi negativa. Não teve respaldo. E a legislatura atual, que não é nem um pouco idiota, não entrou nesse barco furado. Jessicão começou mal.
O vereador mencionado é do Prefeito, e qualquer pauta contra o Prefeito, vai barrar.
Lockdown deveria ser nacional, numa ação coordenada pelo Presiausente, governadores e prefeitos. E vacinação em todos os brasileiros.
Jessicão, inimiga da vida!

EM ALTA