- Publicidade -
- Publicidade -

EUA lançam ataque com drones contra Estado Islâmico-K no Afeganistão

Na quinta-feira, Biden havia prometido 'caçar' responsáveis por atentado em aeroporto de Cabul.

Trending

Militares dos Estados Unidos lançaram um ataque com drones contra o Estado Islâmico-K no sábado (28, horário local – noite de sexta-feira, 27, no Brasil), bombardeando o local onde estaria um membro do grupo no Afeganistão.

A ação ocorreu menos de 48 horas depois que um ataque suicida assumido pelo grupo matou 169 afegãos e 13 militares americanos no aeroporto de Cabul.

O Comando Central dos EUA disse que o ataque com drones em Nangahar foi lançado sobre um membro do EI-K que se acredita estar envolvido no planejamento de ataques contra os EUA em Cabul.

O ataque matou um indivíduo, e o porta-voz do capitão da Marinha, William Urban, afirmou não haver relato de mortes de civis.

Afegãos feridos internados em hospital de Cabul após o atentado terrorista no aeroporto de Cabul, no Afeganistão, em 26 de agosto. Dois homens-bomba e homens armados atacaram afegãos que se aglomeravam no portão Abadia e soldados americanos que faziam a triagem para os voos de retirada do país. — Foto: Mohammad Asif Khan/AP

Ainda não está claro se o indivíduo morto estava envolvido especificamente na explosão suicida de quinta-feira fora dos portões do aeroporto de Cabul, onde multidões de afegãos tentavam desesperadamente entrar, buscando deixar o país após a tomada de poder pelo Talibã.

O ataque aéreo cumpriu uma promessa que o presidente Joe Biden fez à nação na quinta-feira, quando disse que os autores do ataque não poderiam se esconder. “Vamos caçá-los e fazê-los pagar”, disse ele.

Os líderes do Pentágono disseram aos repórteres na sexta-feira que estavam preparados para qualquer ação de retaliação que o presidente ordenasse.

“Temos opções lá agora”, disse o Maj. Gen. Hank Taylor, do Estado-Maior Conjunto do Pentágono.

Estado Islâmico-K x Talibã

O Estado Islâmico-Khorasan , também conhecido por sua sigla em inglês, Isis-k, é o braço afegão do Estado Islâmico. “Khorasan” é um nome histórico da região que inclui partes de onde ficam atualmente Paquistão, Irã, Afeganistão e Ásia Central.

O EI-K reivindicou alguns dos ataques mais violentos dos últimos anos no Afeganistão e no Paquistão.

O grupo massacrou civis nos dois países em mesquitas, santuários, praças e até hospitais, além de ter executado ataques contra muçulmanos de alas que considera hereges – em particular os xiitas.

Embora o EI-K e os Talibãs sejam militantes islâmicos sunitas de linha dura, também são rivais e divergem em temas de religião e estratégia. Cada um diz representar a verdadeira bandeira da Jihad.

As divergências provocaram confrontos sangrentos, dos quais os talibãs geralmente saíram vitoriosos desde 2019, quando o EI-Khorasan foi incapaz de controlar um território como fez seu grupo parente no Oriente Médio.

Em um sinal de inimizade entre os grupos jihadistas, os comunicados do EI se referem aos talibãs como apóstatas.

ViaG1
- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Cultura: prazo para inscrever projetos no Promic encerra segunda

Ao todo, o Promic destinará R$ 1.360.000,00 para os projetos.
- Publicidade -

Sugestões do editor

- Publicidade -